segunda-feira, 24 de novembro de 2014

tempo, tempo, tempo...

Oi, filho,

Esse fim de semana eu senti você mexer. Foi algo bem leve e discreto, mas diferente de tudo o que já senti, por isso acho que era mesmo você!

Tenho andado tão ansiosa pra senti-lo que fico sonhando acordada com os dias em que você vai ouvir nossas vozes e responder com o corpo! Também estou ansiosa pra te segurar, te abraçar, te conhecer... Conto cada semana como uma a menos até você chegar! 

Mas sábado, enquanto eu separava as roupinhas do seu primo Gabriel que a Josy te deu de presente, me deu um aperto no peito. Senti uma saudade enorme do Biel recém-nascido e percebi o quanto o tempo passou rápido! Parece que ainda ontem estávamos todos na maternidade esperando ansiosos pela chegada dele, e agora ele já é esse menininho sapeca que corre de um lado pro outro sem parar!

A saudade virou nostalgia e eu lembrei de um monte de gente querida que não está mais aqui...

É filho, o tempo voa, e nem sempre a gente tem sabedoria pra apreciar o que está à nossa volta. 
Nos frustramos tanto quando nossas expectativas falham ou quando a vida não corresponde aos nossos ideais que facilmente nos esquecemos de ser gratos pelas dádivas que nos cercam. E elas são tantas! 

É filho, é preciso tomar cuidado pra não deixar a vida simplesmente passar... 




segunda-feira, 10 de novembro de 2014

maternidade X carreira profissional

Tudo começa com duas listras rosas. No momento em que você as enxerga, sabe que sua vida vai sofrer uma reviravolta sem precedentes, e sem retornos. Numa fração de segundos milhares de pensamentos cruzam a sua mente e seu corpo recebe o impacto de toda aquela adrenalina.

Palpitação, náusea, taquicardia, pernas trêmulas... Alguns pensamentos chegam a ser catastróficos: "será que minha vida acabou?", "nunca mais vou dormir direito?", "vou ter uma carreira?", "nunca serei uma boa mãe!", "e se meu filho (a) me odiar?", "serei eu responsável por traumatizar para sempre um ser humano?", etc, etc, etc.

Depois daqueles segundos que mais pareceram uma eternidade, você volta a si. Olha no espelho. Investiga sua barriga. Ainda nenhum sinal de que um novo ser humano está confortavelmente se instalando ali.

Mas dentro de você alguma coisa mudou.

O começo da gestação pode ser um período bem incômodo. Os hormônios te fazem sentir em uma TPM sem fim, as náuseas não dão sossego, e aquele sono que parece infinito não te deixa produzir como antes.

Você se sente uma ameba. Sua produtividade não para de cair e sua energia parece ter te abandonado pra sempre.

Você se sente insegura no trabalho. Afinal, nunca foi tão desmotivada e improdutiva. De repente, até as coisas mínimas requerem um total uso de energia e você não sabe de onde tirar forças.

Tudo o que você quer é dormir.

Quando sucumbe a esse desejo, você dorme horas à fio. Ao se levantar, se sente como uma ameba. Marido trabalha daquele tanto e tudo o que você faz é dormir.

Mas se pudesse olhar por dentro do seu corpo veria que as coisas não são bem assim. O que era antes uma célula microscópica está agora tomando a forma de um embrião. E como ele cresce rápido! Seu corpo está formando a placenta que vai acomodar esse embrião pelos próximos meses. E como isso requer energia!

Talvez o fato de você se sentir tão cansada não seja tão ruim assim... a natureza é sábia e dá sinais de que é preciso diminuir o passo.

Nesse meio tempo, sua mente não para de trabalhar. E em meio ao turbilhão de pensamentos cotidianos, você agora tem uma nova preocupação, pois sabe que sua vida vai mudar.

Será que é sensato se punir por isso? Não seria melhor aproveitar o momento e tentar relaxar? Será que a produtividade no trabalho é o que define a sua identidade?

Ser mãe nunca foi fácil, mas para as mulheres que se aventuram nesta empreitada em pleno século XXI, as preocupações sobre a carreira podem se tornar um grande fardo. Dediquei anos de estudo árduo para um dia ser uma boa profissional e desde que engravidei, um dos meus principais receios é o de não conseguir conciliar maternidade e carreira.

Sinto medo de ficar fora do mercado por um tempo e nunca mais conseguir voltar. Também receio voltar ao trabalho cedo demais e ser negligente na criação do meu filho. Como equacionar tudo isso?

Não há uma receita de bolo e muitas mulheres conseguem voltar ao trabalho bem rápido depois de darem à luz. Outras abrem mão de suas carreiras para se dedicarem exclusivamente aos filhos. Ainda não sei qual será o meu caso, mas quero deixar a ansiedade de lado e viver plenamente esse momento que é único.

Sim, a gravidez tem muitos incômodos, mas é também um excelente período de reflexões sobre aquilo que está por vir.  Quero viver tudo isso com paz de espírito e com a certeza de que a minha identidade não está no meu êxito profissional ou no tamanho da minha produtividade.

Por pura Graça do Autor da Vida um novo ser se forma dentro de mim e isso me ensina o quanto sou fraca e ao mesmo tempo forte.

Obrigada, pai, por escolher seres frágeis como nós para sermos seus cooperadores na formação de uma vida. Ensina-me o que preciso aprender e capacita-me para cuidar bem dessa vida que me foi confiada por Ti. Dá-me as forças que preciso para realizar as tarefas diárias e para concluir com excelência o meu mestrado. Mas livra-me de basear minha identidade nessas realizações. Que ela esteja somente em teu amor por mim. Em nome de Jesus, amém. 

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

É menino!

Oi, filho,

Ontem tivemos a confirmação de que você é mesmo um rapazinho. E dos mais grandinhos :) Só tem 17 semanas e já mede 21 cm :) Se eu pudesse, faria ultrassonografia toda semana pra acompanhar seu crescimento e movimentos. É muito legal dar uma espiadinha em você e eu confesso que não vejo a hora de ter você embaladinho nos meus braços :) 

Com a confirmação do fato de você ser um rapaz, seu pai e eu já começamos a sonhar alto. Ele chegou até a me pedir pra assistir aos jogos de futebol pra ele começar a te "doutrinar" desde o útero! Olha só que coisa...Ele já fica sonhando em comprar uma bicicleta pra ele e outra pra você o acompanhar desde bem pequenino...  Eu, por outro lado, fico desejando um menino companheiro, dócil, amigo, daqueles que não se cansam de fazer companhia pra mãe coruja e babona, sabe? 

Mas em meio a tantos devaneios, receio que nossas expectativas sufoquem você. Sabemos que você terá uma personalidade única e maravilhosa, já que, como todo ser humano, foi criado à Imagem de Deus. Sabemos também que você terá inúmeros dons e talentos, muitos dos quais não podemos sequer imaginar agora. Mas sabemos também que muitas das suas escolhas podem ser diferentes das nossas escolhas. Minha oração de hoje é pra que nós saibamos respeitar isso. Que sejamos pais amorosos, mas no sentido exato da palavra amor, que nada tem a ver com esse sentimentalismo barato e mal-acabado que tenta se vender hoje em dia. 

Peço a Deus que nos dê sabedoria pra te criar com muita dedicação e pra que saibamos transmitir os valores que realmente importam e abrir mão de preferências pessoais que não são determinantes na formação do seu caráter. Queremos te respeitar como a pessoa que você é e não como aquela que gostaríamos que fosse. 

Perdoe-nos quando falharmos nisso, porque certamente o faremos. Principalmente eu, que sou super autoritária e intolerante às diferenças. Mas acredite quando digo que não vejo a hora de conhecer você do jeitinho que você é e virá a ser. Não tenha medo de ser você mesmo, filho. Temos certeza que a sua chegada será uma benção pra nossa família simplesmente por ser a sua chegada. 

E que o nosso Senhor, o Deus criador que decidiu por pura Graça te trazer à existência, nos dê sabedoria pra te amar, te educar e te admoestar. E que, no tocante às escolhas que realmente importam, você possa escolher o Caminho da Vida. 

Quanto ao mais, que você não se canse de nos surpreender!

Te amo, 

Sua mãe.