sábado, 4 de julho de 2015

3 meses de Pedro

Oi, filho,

Domingo passado completamos 3 meses ao seu ladinho. É bem difícil colocar em palavras as emoções que permearam esses 97 dias de tanto aprendizado, inseguranças, incertezas  e alegrias sem fim! Engraçado como em tão pouco tempo cabe tanto sentimento! E cabe também uma vida: a sua vida, filho! E a nossa nova vida como pais.

Três meses atrás seu pai e eu renascemos.

Ao me deitar para dormir, é no seu rosto que penso. Meus sonhos são relacionados ao seu crescimento, desenvolvimento, aprendizado, conquistas... É como a Renata Penna sabiamente escreveu:

"Nascem nossos filhos, e morre uma era: morrem prioridades das quais não poderemos dar mais conta, morre um certo tipo de liberdade que não voltaremos a ter (embora possamos descobrir muitas outras, tão lindas quanto ou até mais), morre uma rotina que não acontecerá mais, morrem planos que não conseguiremos mais realizar (mas nascerão outros, mais afinados com quem passamos a ser), morre um egocentrismo que não conseguiremos mais alimentar, morre o direito a nos considerarmos o centro absoluto de todas as escolhas e decisões."

E é exatamente isso, filho! Agora, absolutamente tudo o que seu pai e eu planejamos e sonhamos leva em conta a sua existência. Até um almoço fora de casa é milimetricamente calculado com base no seu bem-estar. 

Não é fácil e leva bastante tempo pra se adaptar. E esse período de adaptação me arranca também muitas lágrimas. Algumas de cansaço, outras de estranhamento pelas mudanças, outras de medo de fazer tudo errado e desapontar você.

É que apesar de tão pequenino você já demonstra uma confiança tão grande em nós! Basta te aninhar nos braços pra acalmar qualquer chorinho. E embora isso seja um grande privilégio, é também uma grande responsabilidade. 

Nesses 97 dias fui confrontada diariamente com a minha arrogância e prepotência, filho. Por isso tenho esperança de que a maternidade faça de mim uma pessoa mais humilde. Você ainda é um bebezinho e já me fez repensar tantas coisas! Às vezes me sinto sem chão porque muito do que acreditava simplesmente caiu por terra. 

Felizmente temos um Porto Seguro, filho. Um ponto de apoio que não depende das nossas emoções. O nome dele é Jesus. Nosso relacionamento com Ele também muda à medida em que crescemos. Mas felizmente quanto mais crescemos, maior Ele fica também. Graças a Deus! 

Algumas proezas: 

Aos 3 meses você: 

- Está com 67,5 cm e 7 kg!
- Sorri quase o tempo todo pra mamãe e pro papai (desde que não esteja com fome, dor, sono ou desconfortável com a posição, tudo o que você faz enquanto acordado é sorrir pra gente) 
- Adoraaaaaa o banho e há alguns dias parou de chorar ao ser tirado da banheira. Trocou o choro por sorrisos deliciosos  
-  Bate tanto as perninhas na banheira que derrama água no quarto todo. E dá uns pinotes que por pouco não bate a cabeça na lateral da banheira também. 
- Apóia os pés nas superíficies duras e gosta muito de ser carregado de frente para o mundo 
- Também gosta de ficar abraçadinho com a gente, que nem um carrapatinho (e essa é minha posição favorita porque dá pra sentir seu calorzinho e respiração) 
- Fica estressadíssimo quando está com sono e chora um montão na hora de dormir (salvo em raras e lindas excessões quando eu te coloco no berço ou no sofá e você apaga imediatamente sem chorar) 
- Já não detesta mais o carrinho e passa um bom tempo nele enquanto a mamãe e o papai estão fazendo tarefas domésticas ou comendo (sexta-feira passada recebemos convidados para o jantar e você ficou sentadinho no carrinho na porta da cozinha observando a mamãe e o papai prepararem tudo. Ontem recebemos visitas de novo e você ficou um tempão fazendo graçinhas no carrinho e interagindo com as crianças)
- Começou a estranhar ambientes estranhos e demonstra clara preferência pela nossa casa 
- Fala bebês fluentemente e adora quando respondemos na sua língua
- Presta super atenção a todos os sons ao redor, principalmente conversas entre mamãe e papai (até para de chorar e mamar pra ouvir a gente conversar)
- Também para de mamar pra conversar. Hoje me contou uma história enorme no meio da mamada.
- Aprendeu a piscar os olhinhos fazendo charminho. Quando está mamando você pisca pra mim, eu pisco de volta e você abre aquele sorriso todo cheio de leite!
- Está dormindo melhor à noite (acordando uma ou duas vezes pra mamar) e passando mais tempo tranquilo durante o dia.
- Está interagindo mais com o ambiente do seu quarto, prestando atenção aos brinquendos e carregando alguns deles sozinho (tipo a sua girafinha que você adora colocar na boca)
- Fica super interessado na nossa imagem no espelho
- Um dia depois de completar três meses começou a dar a barriguinha quando quer ser tirado do berço. E por falar em berço, faço um parêntese pra falar o quanto você está ficando mais independente de colo. Claro que ainda ama ser carregado (e eu amo te carregar). Mas quando precisamos deixar você no berço acordado você reclama cada vez menos. E nessas horas eu vejo o quanto me preocupei à toa quando você era bebezinho e só queria saber de colo. E o que não faltou foi gente me dizendo que eu nunca mais ia ter vida porque você estava mal acostumado. Hoje vejo o quanto essa ideia é boba porque você está crescendo tão rápido... Ontem a Isabela estava aqui e aos 8 meses ela já engatinha pra todo lado. Fiquei pensando que logo será a sua vez e no quanto é precioso poder te carregar por longas horas seguidas sem que você fique entediado. Se eu pudesse dar um conselho à mim mesma três meses atrás, eu diria pra te carregar sem culpa porque você cresce rápido até demais ;)  E tem sido delicioso acompanhar seu crescimento!