segunda-feira, 10 de agosto de 2015

4 meses de 12 dias de Pedro

Oi, filho,

No mês em que você completou 4 meses eu completei 28 anos. Dia de aniversário, ao menos pra mim, sempre foi marcado por longas e profundas reflexões sobre a vida, amadurecimento, caminhada, conquistas... Meu primeiro aniversário com você nos braços, no entanto, foi um dia de muitas lembranças...

Sempre gostei de aniversariar e meus aniversários foram comemorados com festinhas até os 12 anos de idade. Elas sempre eram feitas na nossa casa, minha mãe preparava tudo e eu adorava ajudar a enrolar brigadeiros :) O fato do meu aniversário ser nas férias me dava de brinde alguns convidados que não moravam aqui, como primos e primas do interior, e eu adorava :)

Hoje as festas infantis me parecem muito mais equipadas e gourmetizadas do que naquela época. Mesa de doces cheias de cupcakes, pasta americana, bombons personalizados e afins simplesmente não faziam parte do meu universo. Mas sabe de uma coisa? Era tudo tão bom! Lembro que nossas mesas de doce eram compostas por duas bandejas de brigadeiro, duas de olho de sogra e um bolo feito em casa no centro. E eu achava tudo lindo! O entretenimento da festa ficava por conta das crianças. Minha brincadeira favorita era pique-esconde na viela em que morávamos.

Mas acho que essa mania de achar que "no meu tempo tudo era melhor" é antiga. Minha mãe já falava isso do tempo dela e provavelmente você vai falar isso pros seus filhos, né? Acho que isso acontece quando as pessoas têm uma infância gostosa, como foi a minha e como eu espero que seja a sua também.

Me sinto muito agraciada por ter a chance de vivenciar coisas tão maravilhosas da infância novamente por sua causa. Sei que estar no papel do adulto não é a mesma coisa, mas acho que vai ser uma delícia viver esse outro lado da moeda com você, filho. Isso é pura graça ;)

...

Você está a cada dia mais fofo, nem parece mais um bebê e sim um menininho. No dia em que completou 4 meses começou a virar rapidão. Me lembro de ter te colocado no berço para a sua soneca matinal na posição de sempre: de barriga pra cima. Aí, imediatamente você virou de lado e adotou aquela posição fetal. E você fez isso com uma naturalidade como se tivesse feito isso sempre. Aí eu lembrei de quando você era um bebezinho inerte que ficava sempre na mesma posição em que te colocávamos e isso me pareceu uma lembrança tão distante... Hoje sempre nos surpreendemos com a sua posição ao acordar porque ela costuma ser muito diferente da posição em que te colocamos pra dormir. Ou você vira de lado ou toca de roda no berço e faz um giro de 180 graus. De repente, ao invés de estar de frente pra janela você está encarando o guarda-roupas. Já teve até dia de eu te encontrar atravessado no berço com as perninhas pro lado de fora ;)

...

Seu pai e eu estamos mais acostumados à nossa vida de pais. Mas ainda não dá pra dizer que temos uma rotina, pois você muda muito os "hábitos". Meu tempo livre ainda é curtinho e se limita aos seus períodos de soneca diurna. Mal te coloco no berço e já corro pra fazer tudo que está pendente no dia. Quando não tem mais nada pra fazer e você está dormindo, me sinto até perdida. "Como assim tenho esse tempo só pra mim?"

...

Chega a ser engraçado como um bebê muda tanto a nossa vida... Confesso que às vezes fico meio irritada por ter tão pouco tempo livre. Mas esses dias reli algo que o Lewis escreveu sobre o assunto e me senti mais encorajada. Reproduzo um trecho aqui:

"O homem não pode produzir nem reter um único momento do tempo; todo o tempo lhe é concedido como uma dádiva; do contrário ele poderia muito bem considerar o sol e a lua seus bens móveis. Ele também está, em tese, determinado a servir totalmente ao Inimigo* ; e, se o Inimigo aparecesse fisicamente para ele e exigisse o tempo integral dele durante um dia inteiro, ele não se negaria. Ele ficaria imensamente aliviado se esse dia não envolvesse nada mais trabalhoso do que ouvir a conversa de uma olhar tola; e ficaria aliviado, quase a ponto da decepção, se por meia hora durante esse dia o Inimigo dissesse: "Agora você está livre para se divertir". Mas até mesmo ele se dará conta, se meditar sobre isso um instante, de que na verdade ele se encontra todos os dias nessa situação". (Cartas de um diabo ao seu aprendiz, p. 106, carta de número 21) 

* Inimigo, neste contexto, se refere à Deus já que a carta foi supostamente escrita por um diabo ao seu sobrinho.

...

É assim. Sua vida não só mudou as nossas vidas, como tem nos feito refletir sobre o que significa esse papo de ser cristão com mais seriedade. Agora somos também testemunhas de Cristo na sua vida e queremos ser fiéis ao nosso Senhor pra que você não tenha uma imagem distorcida sobre Ele. E com esperança vamos caminhando, já que Nele essa esperança nunca foi e nunca será em vão.

Te amamos!