terça-feira, 19 de janeiro de 2016

9 meses e 3 semanas

Oi, filho,

Muitos e muitos anos atrás o mundo, a vida e as pessoas foram completamente diferentes do que são agora. Isso foi há muito tempo - tanto que ninguém sabe precisar ao certo quando aconteceu - mas o fato é um dia a humanidade viveu em paz entre si e com o Criador. Homem, mulher, árvores, peixes, leões, cachorros, panteras e até as serpentes conviviam pacificamente em um belo jardim. Este jardim era tão belo, tão límpido, tão maravilhoso que nem todos os idiomas do mundo juntos reúnem adjetivos suficientes para descrevê-lo, tampouco a imaginação mais fértil da criança mais pura conseguiria concebê-lo. Como o estado atual de nossas mentes não consegue alcançar tanta beleza, nos contentamos em contemplar a paisagem mais bela que nossos olhos podem alcançar para tentar ter uma vaga ideia de como era esse jardim.

Neste ambiente acolhedor e único não havia maldade, corrupção, injustiça, dor, sofrimento, mágoas, traumas, desastres naturais e tampouco a morte. A vida explodia em todos as direções em uma dança eterna.  E o mais importante de tudo: os habitantes deste mundo original desfrutavam de comunhão plena com o Criador. A intimidade entre eles se assemelhava àquela que temos com os nossos amigos mais chegados, aqueles com os quais podemos passar uma madrugada inteira papeando e rindo à toa.

Hoje, rompidos com Deus, uns com os outros e conosco mesmos levamos vidas fragmentadas. Na tentativa de encontrar sentido para a nossa existência criamos ídolos que nos iludem e sugam tudo de nós. São eles: dinheiro, sexo, poder, religião, política e até mesmo outras pessoas. A tragédia é que nada disso nos satisfaz plenamente e por isso vivemos sempre com aquela sensação de que "tem alguma coisa faltando". Mas isso também é Graça porque nesses momentos de sobriedade podemos ser alcançados pela única Voz da Verdade, aquela que nos fala o quão distantes estamos de Casa, mas ao mesmo tempo nos convida a empreender o caminho de volta. Este caminho de volta é cheio de percalços. Cada um deles é uma oportunidade de moldar nosso caráter pra que um dia nos tornemos as pessoas que fomos criadas para ser e enfim desfrutar de um relacionamento pleno com o nosso Criador e com os nossos semelhantes.

A experiência da maternidade tem sido a mais desafiadora de toda a minha vida, filho. E olha que ainda estou no comecinho. Você já tem quase 10 meses e eu ainda me ressinto da alta demanda de um bebê. É claro que é uma imensa alegria testemunhar seu crescimento e eu me sinto a mais privilegiada das mães por ter um bebê como você, filho. Mas o outro lado desta moeda contém litros e litros de lágrimas derramadas por noites mal-dormidas (você acorda de hora em hora durante a noite), preocupações quanto à "maneira certa" de criar você e preocupações com o seu bem-estar. Mas hoje enquanto você estava com sua avó pela manhã eu tive um tempo mais longo para meditar sobre a vida e fui surpreendida com uma conclusão que me trouxe paz: com a graça de Deus todos os espinhos que seu pai e eu enfrentarmos nesta jornada da maternidade/paternidade nos ensinarão a ser gente de verdade: menos auto-centrados, egoístas, egocêntricos e implacáveis.

Somos a cada dia mais gratos a Deus pela sua vida, filho!

***

Sobre o seu desenvolvimento:

Você aprendeu a engatinhar pouco tempo depois de ter completado 8 meses. Mas sua forma de fazer isso é bem peculiar. Ao invés de usar as duas pernas para se locomover, você mantém uma delas dobradas e usa os braços e uma perna para se mover em pequenos pulinhos. Mas você está super veloz, principalmente quando persegue uma bola :) Aprendeu a ficar de pé no berço e agora aproveita todas as oportunidades que surgem para se levantar. Ontem eu estava lavando louças e você se agarrou na parte de trás das minhas pernas e se levantou. Seu novo passa-tempo favorito é se sentar depois que se coloca de pé, e depois se levantar de novo. Ontem você fez isso tantas vezes seguidas que seu pai e eu suspeitamos que deve ter ficado com o bumbum dolorido :P

Seu cardápio está a cada dia mais diversificado, assim como seus novos alimentos favoritos. Churrasco está entre eles :)  Você adora bagunça, casa cheia e gente ao seu redor. "Puxa-papo"com todo mundo e agora deu pra chorar quando as pessoas saem de perto de você, até mesmo desconhecidos no elevador. Sua resistência com crianças está finalmente sendo vencida e você tem gostado cada vez mais da companhia de outros pequenos. Fica deslumbrado quando encontra bebês da sua idade, principalmente se eles não forem muito barulhentos. Você continua demonstrado irritação com barulhos, principalmente os mais agudos. Os sons do liquidificador e do aspirador de pó ainda são capazes de lhe fazer chorar.

Seu vocabulário está aumentando bem rápido. Além dos clássicos "mamã"e "papá"que você solta nos momentos de choro, você aprendeu a usar a ordem "dá" quando demoramos a lhe dar algo que você quer muito (principalmente comida). E passa metade do dia balbuciando novos sons e juntando sílabas. Domingo você passou um tempo com a Gabi e depois que chegou em casa soltou um "Babi". Acho que ela foi quase bem-sucedida na tentativa de lhe ensinar a dizer o nome dela :)

Não tenho palavras para expressar meu encanto com você, filho!Nem nos meus mais altos sonhos eu poderia vislumbrar um bebê tão chameguento, charmoso, sorridente e maravilhoso como você. Basta olhar pra gente e você já abre o sorriso mais lindo de todos! Suas gargalhadas são altíssimas, e o som delas é agora o meu favorito no mundo!

***

No final do ano celebramos nosso primeiro Natal juntos e a sua presença me fez meditar sobre o menino Jesus de uma forma completamente inusitada. Pela primeira vez eu me deixei tomar por um verdadeiro assombro pelo fato de Deus ter se tornado homem e habitado entre nós. Não é incrível que o Criador do Universo, o Verbo que deu ordem ao caos tenha se tornado tão frágil quanto um bebê? E aqui novamente me faltam palavras para expressar tamanho assombro.

***

2016

O começo de um novo ano sempre traz a oportunidade de reflexão e mudanças. Há tempos deixei de fazer promessas de ano novo, pois é sempre uma enorme frustração quando não conseguimos cumpri-las. Mas começar o ano ao seu lado foi motivo de grande alegria, filho. E eu estaria mentindo se não confessasse que sua vida me traz as mais altas expectativas. Cada menino que vejo na rua me faz imaginar você crescendo. Nesses davaneios você está sempre sorrindo, brincando e nos surpreendendo com perguntas e declarações inusitadas (daquelas que só as crianças fazem).  Te amo a cada dia mais e estou ansiosa pra conhecer o menino Pedro, o adolescente Pedro, o jovem Pedro e por fim o homem que um dia você vai se tornar. E é justamente a minha esperança de que você se torne uma pessoa íntegra, madura, equilibrada e verdadeiramente cristã que me faz repensar a minha vida a cada novo dia. Que este ano que se inicia seja cheio de aprendizado pra você e pra nós, filho! Que com a Graça do Pai caminhemos a cada novo dia com mais fé, amor e esperança.